OPINIÃO

Idéias e opiniões socialistas sobre Sorocaba

Engenheiros de Sorocaba buscam explicação a rombo em sua associação.

Posted by alexproenca em maio 22, 2011


Presidente da Aeas deixa cargo sem explicar falta de pagamento do plano de saúde de associados e dívida feita com bancos

Acostumados a aparecer nas páginas dos jornais em razão dos encontros festivos que faziam, ou em razão do programa “Engenheiro no Bairro”, onde levavam conhecimento técnico gratuito às famílias mais carentes de Sorocaba, os membros da Aeas (Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Sorocaba) voltam a ser notícia novamente, mas por outra razão: eles buscam uma explicação para o rombo financeiro na entidade, que pode chegar a ser milionário.

Duas dívidas/ Há três semanas os engenheiros começaram a desconfiar que algo estava errado. Foi quando a mãe de um deles, que passaria por cirurgia de catarata no Hospital Unimed, foi impedida de fazer o procedimento em razão do cancelamento do plano de saúde. Como todos pagam a Unimed, via Aeas, mensalmente, foram atrás da explicação. Nesse momento apareceu o primeiro problema.

Jair Molina, que nos últimos doze anos comandou a Aeas, e sempre foi muito solícito com todos os associados, não atendia mais ao telefone. Foi então que se descobriu uma dívida com a Unimed de R$ 340 mil referente ao não pagamento do Plano de Saúde. Essa foi a primeira questão que ficou no ar: mas como tem a dívida se todos os associados pagam em dia a mensalidade do plano de saúde Unimed para a Aeas? Em entrevista ao BOM DIA, Jair Molina disse que negociava com a Unimed uma carência maior para colocar as contas em dia e que o problema seria resolvido.

Alguns dias depois dessa declaração, no dia 10 de maio passado, veio à tona o segundo problema a Aeas: uma dívida bancária no valor de R$ 80 mil. Depois desse dia, Jair Molina não foi mais encontrado pela reportagem para falar de assuntos espinhosos. Um comportamento bem diferente de quando ligava aos jornais para falar sobre os jantares e happy hours promovido por sua gestão a frente da Aeas.

Mais de R$ 2 milhões/ No dia 11 de maio, via edital, a Aeas convocou uma reunião de emergência. O engenheiro eletricista Antônio Beldi Neto, empresário conhecido não apenas em Sorocaba, mas no Brasil inteiro por sua atuação à frente de empresas como a Splice – e por seu presidente do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) – assinava a convocação. Beldi é o vice-presidente da Aeas.

Toninho Beldi, como é conhecido, não quis conceder entrevista, mas o BOM DIA teve acesso ao email que ele enviou aos associados da Aeas.

Nesse email, Beldi fala textualmente o seguinte: “venho pela presente (mensagem) ante aos graves fatos relacionados com a gestão dos recursos financeiros da Aeas que precisam ser esclarecidos, ressaltar a todos os associados a importância de que compareçam nas assembleias gerais extraordinárias”.

As assembleias aconteceram no dia 16 de maio e terminaram, após discussões, esbravejamentos e acusações feitas pelos engenheiros presentes diretamente na cara de Jair Molina com as seguintes decisões: 1) Molina foi destituído do cargo de presidente; 2) uma auditoria independente vai levantar o verdadeiro rombo na Aeas que seria superior aos R$ 2 milhões; 3) definição da alienação de um imóvel da Aeas (estimado em valor de mercado em mais de R$ 2,5 milhões, na rua Adolpho Massaglia, próximo ao shopping Esplanada); 4) constatação de que seria para sobrar mensalmente R$ 15 mil no caixa da Aeas, fato que não está ocorrendo.

Vergonha e processo/ Os engenheiros não querem publicamente falar a respeito do assunto. Mas o BOM DIA apurou que o sentimento de vergonha toma conta de todos os associados por uma razão: foram eles que deixaram Jair Molina a frente da Aeas nos últimos doze anos e o rombo financeiro agora constatado é de inteira responsabilidade dele.

O sentimento geral entre os engenheiros ouvidos pelo BOM DIA é de que Jair Molina não roubou o dinheiro que sumiu, mas que ele se revelou o pior dos gestores possíveis.

Os mesmos engenheiros dizem que Molina credita a uma gerente da Aeas o sumiço do dinheiro. Segundo Molina teria dito aos associados, era essa gerente que cuidava do caixa e administração da Aeas. Mas ai aparece outro problema, essa gerente, que estaria na Aeas nos últimos quatro anos, nunca foi registrada como funcionária, fato em desacordo com a legislação. Ela não era nem prestadora de serviço e nem contratada em regime da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) o que ainda vai gerar um processo trabalhista à Aeas.

Quem é Molina?


Jair Sanches Molina é engenheiro civil e diretor-presidente da JS Engenharia e Construção.

Nos últimos 12 anos Molina presidiu a Associaçãos dos Engenheiros e Arquitetos.

Molina foi secretário dos Transportes da atual administração do prefeito Vitor Lippi até ser exonerado por divergências políticas, conforme o prefeito explicou ao BOM DIA em novembro de 2009.

Ex-integrante do DEM e aliado do vereador Crespo, Molina se afastou do vereador após a sua exoneração da Prefeitura e desde então abandonou a vida pública.

Fonte: Jornal Bom Dia Sorocaba

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: