OPINIÃO

Idéias e opiniões socialistas sobre Sorocaba

Cerca de cinco mil param em Sorocaba por redução de jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Posted by alexproenca em março 23, 2010


Cerca de cinco mil trabalhadores participaram na manhã desta terça-feira (23/3) de um ato, em Sorocaba, em defesa da redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais. Organizada pela subsede da CUT, a manifestação contou ainda com a presença do deputado estadual Hamilton Pereira (PT), do presidente do PT de Sorocaba, José Carlos Triniti Fernandes, e dos vereadores Izidio de Brito Correia e Francisco França.

A redução da jornada de trabalho no Brasil, segundo estudos do Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Econômicos), pode gerar até 2,5 milhões de novos empregos. A informação foi reforçada nos discursos das lideranças sindicais e políticas. “Além desse número, que é extremamente positivo para a classe trabalhadora, a redução da jornada vai dar mais tempo para o trabalhador se qualificar e conviver com sua família”, afirma Evanildo Amancio, coordenador da CUT na região.

A possibilidade de qualificação também foi reforçada por Hamilton Pereira que lembrou ser autor de emenda orçamentária que garantiu recursos para instalação de um campus da Unesp em Sorocaba. O deputado também falou da instalação do campus da Ufscar pelo Governo Lula e da luta encampada pelo Partido dos Trabalhadores de Sorocaba para trazer unidades da Escola Técnica Federal para o município. A importância da luta sindical em conquistas importantes da história da democracia no Brasil também foram resgatadas por Hamilton, como a luta pelas Diretas Já e pelo impeachment de Collor.

Triniti ressaltou a importância da redução da jornada de trabalho para a geração de mais empregos e lembrou que durante o Governo Lula já foram gerados 12 milhões de empregos. Izidio de Brito e Francisco França lembraram a mobilização dos trabalhadores, em 1984, para redução da jornada de trabalho de 48 horas para 44 horas. “Foram 50 dias de mobilizações e a redução só veio se tornar lei em 1988”, afirmou Izidio. “Vamos ter que nos mobilizar muito para reduzir novamente a jornada, inclusive, porque há muita gente no Congresso Nacional apontando a caneta para a redução dos direitos trabalhistas”, disse França.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região, Ademilson Terto, afirmou que empresários trabalham pela não-redução, alegando aumento no custo da produção. “Mas esse argumento não se sustenta, pois estudos mostram que esse aumento de custo é pouco maior do que 1%. Isso não é nada levando em conta o que a indústria cresceu e faturou nos últimos anos”, afirmou Terto.

A inclusão dos direitos da mulher trabalhadora também foram incluídas no debate, principalmente, através da fala da presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Vestuário de Sorocaba e Região, Márcia Viana. A problemática de trabalhadoras de empresas terceirizadas também foi lembrada. Estiveram representados no Ato, os Sindicatos dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região, de Itu e Salto, além dos Sindicatos dos Condutores de Sorocaba e Região, da Construção Civil de Salto, do Papel e Papelão e da Federação do Metalúrgicos do Estado de São Paulo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: