OPINIÃO

Idéias e opiniões socialistas sobre Sorocaba

Motoristas de Sorocaba entram em greve; Votorantim suspende paralisação.

Posted by alexproenca em maio 28, 2009



  • Erick Pinheiro

O prefeito Vitor Lippi (PSDB) enfrenta desde a madrugada desta quinta-feira (28) sua 3.ª greve de ônibus à frente do Executivo local em cinco anos. Sem acordo entre o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Sorocaba e Região (Sinttrans) e os empresários do setor, cerca de dois mil motoristas se revezarão para garantir a operação de 30% da frota circulando na cidade. Os prejudicados serão os cerca de 100 mil usuários, que terão de dividir 113 dos 378 carros das duas empresas STU e TCS (esta última teve a concessão cassada), o que equivale a 885 passageiros por carro. A Urbes – Trânsito e Transportes informou que existe um esquema emergencial para atender, de forma precária, 70% de todas as linhas. Porém, não divulgou detalhes de como isso vai funcionar na prática.

Por determinação de Lippi, a Guarda Municipal (GM) e a Polícia Militar (PM) foram chamadas para dar apoio à população. A programação emergencial deverá ser mantida até que o imbróglio se solucione. A Urbes disponibilizará serviços de informação e orientação para os usuários durante o dia. As informações podem ser obtidas pelos telefones 118 e 3331-5000, e também pelo site http://www.urbes.com.br.

Impasse

Uma última reunião aconteceu na manhã de quarta-feira (27) entre as partes (sindicato, empresas e a Urbes). Os motoristas novamente não aceitaram a proposta por não contemplar a reivindicação da categoria, que é de aumento real de 6% mais a reposição da inflação do período medida pelo IGP-M /FGV (Índice Geral de Preços do Mercado da Fundação Getúlio Vargas), que está em 5,38%; tíquete-refeição de R$ 15,00; aumento na PLR (Participação nos Lucros e Resultados); contratação de mais agentes de bordo (dos 120 atuais para 480); escala de trabalho de 6×2, jornada de trabalho de 6h e manutenção dos direitos, como cesta básica e plano de saúde familiar.

Por meio de nota à imprensa, Lippi e o presidente da Urbes, Renato Gianolla, lamentaram o impasse nas negociações entre o sindicato e as empresas operadoras do transporte coletivo. Já o advogado da STU, Francisco de Assis Pontes, lamentou a postura dos motoristas. “Não temos comprovação, nem estudos, de que o agente de bordo garanta, por si, sua operacionalidade nas linhas. Gostaríamos de mais três meses para ter uma análise detalhada do assunto”, disse.

O presidente do Sindtrans, Paulo João Estausia, o Paulinho, disse estar preparado para tudo nesta greve. “A reunião não avançou. Desde o início de março, a proposta das empresas era demitir os agentes de bordo. O 6% é apenas a reposição da inflação medido pelo IPC/FIPE. Só essa reposição não contenta os trabalhadores. Não teve, também, a oferta do tíquete-refeição acima dessa inflação, que são benefícios sem encargos sociais. Mas, confesso que a não-aceitação do agente de bordo é o grande obstáculo de toda a discussão”, ressaltou.

Segundo Paulinho, Lippi argumentou que o sistema de transporte coletivo está sofrendo um déficit, neste ano, de R$ 10 milhões. “Onde vamos parar com essa situação?”, questionou o sindicalista. “Propomos o agente de bordo como causa principal de socorro ao sistema. Mas os empresários visam somente o lucro. O poder público está se omitindo, uma vez que as empresas ganham por quilômetro rodado. Diante da falta de acordo, rompe-se uma parceria entre o sindicato, os empresários e a Prefeitura”, finalizou.

Diálogo

O ex-prefeito de Sorocaba e deputado federal Renato Amary (PSDB) – que negociou com a mesma categoria durante os oito anos de seus dois mandatos no Executivo de Sorocaba – defende o diálogo como base imprescindível para um acordo em uma situação dessa. “Nunca enfrentei uma greve, porque sempre soube ouvir a reivindicação e negociar. Mantivemos o transporte público operando na cidade, sem paralisações. Quem sofre com uma paralisação é a população”, frisou.

VOTORANTIM

Diferentemente de Sorocaba, o prefeito de Votorantim Carlos Augusto Pivetta (PT) foi o responsável pela mediação de um acordo, na noite de ontem, entre as empresas Votur, São João e o Sinttrans. Resultado: não haverá greve no transporte coletivo da cidade. O sistema opera normalmente.

A rodada de negociação teve início às 15h30, foi suspensa às 17h30 e retomada às 19h30. Sindicato e empresas chegaram à seguinte proposta: reajuste salarial de 7,5% retroativo a maio, tíquete-refeição de R$ 12,00 a partir de 1.º de agosto (aumento de 9,10%) e PLR (Participação nos Lucros e Resultados) de R$ 500,00 no retorno das férias (aumento de 10,05%).

Também foi acordado a elaboração, em 60 dias, de uma escala que permita aos funcionários terem uma folga com dois dias seguidos no mês, além da manutenção das demais cláusulas contratuais, como cesta-básica, plano de saúde e a quantidade de agentes de bordo existente, ou seja, 50% do número de motoristas do setor urbano e suburbano (70 agentes).

“O resultado das negociações em Votorantim mostra que é possível sim, com diálogo e boa vontade, chegar a um acordo que contemple todas as partes”, afirmou o presidente do Sinttrans, Paulo João Estausia, o Paulinho. O Sindicato avaliou que a participação do prefeito Carlos Augusto Pivetta nas negociações foi “importante” para a construção do consenso. “Essa mediação foi fundamental para a suspensão da greve”, declarou o sindicalista.

“Faltou isso em Sorocaba”

Diferentemente Pivetta, Paulinho criticou a postura de Vitor Lippi (PSDB). “Faltou o prefeito vir e participar, pessoalmente, da discussão”, salientou. Paulinho deixou a Prefeitura de Votorantim, na noite de ontem, ao lado do vice-presidente do sindicato, o vereador sorocabano Francisco França (PT), e de alguns diretores.

O diretor-presidente das empresas Votur e São João, Marco Antonio Franco, disse não ter sido “fácil” chegar a um acordo. “Foi precisou extrema boa vontade de ambas as partes. Chegamos em um ponto limite. Mas entendemos que a greve seria prejudicial para todos. Sentimos vitoriosos pelo consenso”, destacou. (Por Gustavo Ferrari).

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Uma resposta to “Motoristas de Sorocaba entram em greve; Votorantim suspende paralisação.”

  1. ligia said

    esse defict q o prefeito idiota diz se refere a roubalheira q existe é por isso q a tcs faliu e ainda deve pros motorista q sempre carrega tudo nas costas!Enqnto ñ derem um freio nisso vai ser dai pra pior

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: