OPINIÃO

Idéias e opiniões socialistas sobre Sorocaba

Doeu no bolso: “Folha” perdeu 2 mil assinantes, diz blog do Sakamoto.

Posted by alexproenca em março 10, 2009


Passados três dias do histórico ato em frente à “Folha”, restam algumas reflexões a fazer.

A manifestação (precedida de intensa mobilização de internautas, e de um abaixo-assinado eletrônico contra o jornal) ocorreu no sábado. No dia seguinte, o Diretor de Redação da “Folha” reconhceu – em nota oficial publicada no jornal – que chamar a ditadura de “ditabranda” foi um erro.

Otavinho não o fez por bondade, nem por temer os trezentos cidadãos que se plantaram à porta do jornal, para protestar num sábado abafado e calorento. Ele o fez por temer a intensa repercussão negativa do fato.

Por trás dos trezentos cidadãos, havia centenas, milhares de outros mobilizados na internet.

Otavinho provou o poder da guerrilha na rede. Acostumado às estruturas hierarquizadas das velhas redações,  achou que podia insultar a memória dos brasileiros e a honra de dois professores, sem provocar qualquer reação.

Arrogância ou ignorância?

A “Folha” nunca apanhou tanto como nessas duas semanas. Marcelo Coelho tentou defender o patrão http://www.rodrigovianna.com.br/radar-da-midia/ditabranda-marcelo-coelho-quer-justificar-o-patrao, mas a verdade é que o moral da tropa baixou.

Isso me foi dito por um jornalista que trabalha na “Folha”: o editorial infame, a defender a “ditabranda”, e a resposta grosseira a Benevides e Comparato geraram “mal-estar” interno, disse-me em off o jornalista que trabalha para os Frias.

Ainda assim, seria pouco para obrigar Otavinho a reconhecer o erro. Ele está se lixando para o mal-estar dos funcionários. Um jornal que demitiu uma repórter que estava sob tortura no DEOPS http://www.rodrigovianna.com.br/radar-da-midia/folha-demitiu-jornalista-que-estava-presa-pela-ditadura não se importaria com essas perfumarias.

As notícias que começam a circular dão conta de que o problema foi outro.

Assinaturas foram canceladas em bloco nos últimos dias. A notícia me chega desde a Barão de Limeira.

O leitor  Russo Salvatore também me envia um texto do blog do Sakamoto http://colunistas.ig.com.br/sakamoto/ – com informação parecida. Leiam um trecho:

Leitores chiaram (fontes de dentro do jornal dizem que uma onda de cancelamento de assinaturas teria acendido uma luz amarela – fala-se em perdas de até 2 mil assinantes) e até profissionais da casa lamentaram o uso do termo“.

Isso teria enfraquecido anda mais a posição interna de Otavinho. Ele e o irmão Luis Frias travam uma guerra pelo comando do grupo, desde a morte do pai.

Luís cuida da parte administrativa e do UOL (que é mais rentável que o jornal). Otavinho fica com a “Folha”.

O editorial e a arrogância na resposta aos professores teriam deixado Otavinho em posição mais frágil, justamente por ter provocado o cancelamento de centenas de assinaturas. Era preciso conter a sangria.

Quem conhece os bastidores da casa diz que não será surpresa se, nos próximos anos, Luis Frias comprar a parte de Otavinho nos negócios, assumindo sozinho a operação.

Não seria vantagem nenhuma para o Jornalismo.

Luís Frias, dizem minhas fontes, é parecidíssimo com  o falecido pai. Cuida de notícias como se cuidasse de galinhas. Quer  é dinheiro no bolso. Já Otavinho tem veleidades intelectuais.

Somados, os dois não dão nem meio Comparato. São jornalistas de fachada. Personagens do passado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: